quinta-feira, 7 de março de 2019

Rádio Fandango

As crianças do Grupo Mestre Eugênio.


O Fandango Caiçara, patrimônio imaterial nacional reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), finalmente vai ter um programa de rádio em Paranaguá. É sério, gente! O ritmo típico local, que leva multidões aos bailes, que tem mais de 300 anos de tradição, nunca teve um programa a ele dedicado. Se teve, por favor me corrijam.

E não só que nunca teve um programa, é pior. As rádios ignoram solenemente a existência do ritmo Caiçara. Não dá para entender. É uma música alegre, que faz parte da vida da cidade. Não se trata de fazer folclore ou manter uma tradição. É bom e pronto. As rádios estão perdendo dinheiro e audiência insistindo no sertanejo universitário, que pouco tem a ver com a vida das pessoas daqui.

E para quem acha que só há as modas antigas, de domínio público, precisa se atualizar. O Aorélio Domingues, o Cleiton Prado e outros mestres têm composto modas novas, falando da vida dos pescadores e do povo caiçara em geral. Quem não presta atenção a isso está perdendo o trem da história.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Oficina de Educação Patrimonial




Texto publicado na Coluna Balanço da Canoa no JB Litoral de 28/01/19.

A Educação Patrimonial está entre as oficinas oferecidas pela Secultur. Segundo a oficineira Marcela Bettega, é uma prática de cidadania ativa, em que o espaço da cidade se torna protagonista, pois é o lugar de convívio e suas formas interferem em nossos modos de ver, viver e se relacionar.

A Cidade de Paranaguá tem mais de 4 séculos de história, portanto a forma da cidade tem muito a nos contar sobre o passado e pode ser uma ponte para imaginarmos um futuro comum.

A oficina propõe uma reflexão a respeito das questões patrimoniais no Brasil e no mundo e sobre a paisagem urbana, baseando-se em documentos, imagens e saídas de campo. Serão realizados estudos de prédios históricos e as informações serão publicadas.

Marcela Bettega é Mestre em Desenvolvimento Territorial Sustentável pela UFPR Litoral, com pesquisa a respeito do Centro Histórico de Paranaguá. As inscrições estão abertas na Casa Cecy. Turmas no período da tarde e da noite.


Lixo no Itiberê

Imaginem se o Itiberê e a Baía de Paranaguá fossem limpos de verdade...





Texto publicado na Coluna Balanço da Canoa no JB Litoral de 28/01/19.

Participei do Festival Remada, nos dias 19 e 20 de janeiro, no Rio Itiberê em Paranaguá. Foi um evento bacana, muito prestigiado e com excelente organização. Na manhã de sábado, houve um mutirão de limpeza no Itiberê. Muito lixo foi coletado pelos participantes de caiaque ou SUP.

No dia seguinte, juntamos cinco amigos e fomos remando em caiaques desde o mesmo lugar no Itiberê até o Mar de Lá, que é no Rio dos Correias, na Ilha dos Valadares. O lixo todo tinha voltado. Foi muito triste. Encontramos até um capacete de moto boiando nas águas da Baía. Eu juntei um pacote enorme cheio de isopor.

O pior é que o lixo é quase todo plástico, que leva séculos para se decompor na natureza e que causa morte de muitos animais marinhos. Justamente por isto, as embalagens descartáveis estão sendo proibidas em muitos países. Canudos plásticos também já são proibidos em cidades como o Rio de Janeiro. Mas ainda é muito pouco. A legislação e a educação ambiental precisam avançar. Vivemos num lugar bonito demais para ser destruído de uma forma tão besta.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Praça de Alimentação na Ilha do Mel

Existe uma Praça de Alimentação no Mar de Fora, localidade de Encantadas, na Ilha do Mel. Existe, mas está fechada há meses. Ela era a única opção para consumo de bebidas e alimentos naquela belíssima praia. Isto tem causado transtorno aos turistas e às famílias de nativos da Ilha, que trabalhavam nos estabelecimentos da Praça.

O local foi construído pelo Instituto Ambiental do Paraná como uma forma de compensar as famílias que antes tinham comércios na área de restinga. Porém, foi fechado há 9 meses numa ação do Ministério Público, por falta de renovação das concessões.

Há um movimento dos nativos pedindo a reabertura da Praça. A comunidade está passando por sérias dificuldades financeiras e psicológicas, já que a principal fonte de renda lhes foi tomada, sem aviso prévio, pelo poder público.



Por trás do fechamento do espaço, estariam interessem privados obscuros que visam tirar o comércio da região e legitimar outro tipo de empreendimento. Mas o povo local está ali há décadas e tem todo o direito de trabalhar de maneira digna para garantir seu sustento.

Com a palavra o IAP e o governo do Estado. A Prefeitura de Paranaguá também pode desempenhar um papel importante neste caso. Para quem quiser saber mais detalhes, acesse a página do Movimento Reabre a Praça – Ilha do Mel, no Facebook.

Foto Jhennifer Valentim. As fotos anteriores são do Facebbok.

domingo, 13 de janeiro de 2019

Mutirão Aldeia Pondoty



Para fortalecer os laços com os povos tradicionais, o grupo Alvorada Popular está organizando um mutirão na Ilha da Cotinga, junto à comunidade Guarani Mbyá, nos dias 19 e 20 de janeiro.

O objetivo do mutirão é abrir um novo espaço e construir novas casas.

Saída às 7h (sábado) da praça Eufrásio Correia, em frente à Câmara Municipal de Curitiba.

O grupo segue de carro até Paranaguá, onde embarcam rumo à Ilha da Cotinga com custo de 30 reais para 10 pessoas.

Para participar é necessário preencher esse formulário: https://goo.gl/forms/6Sm0SAB6ffflXEsV2

Cada participante deve levar:
  • 4 quilos de alimentos não perecíveis, mais misturas (carne, massas, trigo, óleo, fubá etc);
  • Repelente, protetor solar, roupa de trabalho, bota, luvas, chapéu ou boné;
  • Barraca, saco de dormir e demais equipamentos de acampamento;
  • Caso tenha, ferramentas de trabalho (facão, serrote, martelo, cavadeira ou cortadeira, roçadeira à gasolina com faca 2 pontas, combustível etc);

1° Mostra Cine Coreto em Morretes

Neste sábado, 19/01, será realizada a 1ª Mostra Cine Coreto na Praça do Imigrante, em Morretes. A iniciativa é da AMMo – Arte Movimento Morretes – e haverá uma vasta programação durante todo o dia.

As atividades começam às 9h30min com abertura poética e a mostra infantil. Às 13 horas recomeça a projeção dos filmes e documentários: Mundo Melhor; Canal do Varadouro; Agrofloresta é Mais; Projeto Banamel; Teaser O Avarento; O Dia em que Estive Morto; Construção; O Divino, o Popular e o Erudito (Fandango do Paraná).

Às 17 horas haverá uma conversa sobre economia criativa com Diego Torres Batista (Associação Moradores Sabará), Gustavo Jesus Gonçalves (Associação Filhos da Terra) e Luara Escobar (Artesã).

A Mostra contará também com performance, feira de produtos da Associação Filhos da Terra e cosméticos naturais da Indômita Flor. A produção do evento é da Jerivá da Serra.

A entrada é gratuita. É só chegar!

Confira o evento no Facebook. 

Fandango no Marujá

A localidade do Marujá fica na Ilha do Cardoso, litoral sul de São Paulo, na divisa com o Paraná. Além do turismo e da pesca, a bela localidade conta com uma cena de Fandango Caiçara. E esta comunidade vai promover nos dias 25, 26 e 27 de janeiro o 1º Encontro de Fandango Caiçara do Marujá.

Haverá um barco saindo de Paranaguá no dia 25 pela manhã, rumo a este encontro. O mesmo barco retorna no domingo, dia 27. O custo da viagem é de R$ 50 por pessoa e ainda há vagas. A hospedagem é por conta de cada um, e ainda há lugares disponíveis nas pousadas, além de Camping para os mais aventureiros.

A festa será realizada pelo grupo de Fandango Família Neves e contará com a presença de grupos de fandango das cidades de Guaraqueçaba (PR), Cananeia, Iguape, Peruíbe e Ubatuba (SP). De Paranaguá participarão os grupos Mandicuera e Família Domingues.

É uma oportunidade única de conhecer um lugar de natureza exuberante e curtir um bom fandango caiçara. Só a viagem de barco já é uma experiência inesquecível, pois ele segue por dentro da Baía de Paranaguá passando pela Baía dos Pinheiros, Canal do Varadouro até chegar à Ilha do Cardoso. Com sorte, pode haver avistamento de guarás e botos, entre outras espécies que vivem nestas águas e florestas.

Para quem quiser participar, o contato para a reserva do barco é com o Edvaldo, Whatsapp 41 98773-9587. Recomendo que reserve logo, tanto o barco como a hospedagem.

Confira o evento no Facebook, clique aqui. 

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Inscrições abertas para as oficinas de artes da Secultur


Foram abertas nesta segunda-feira (7) as inscrições para as oficinas de artes da Secultur. As aulas iniciam no dia 18 de fevereiro, e as inscrições seguem até dia 08/02.

Os interessados nos cursos de música (instrumentos diversos, canto e teoria musical), devem se inscrever na Casa Elfrida Lobo.

Para as oficinas de Artes Visuais (Desenho, Fotografia, Pintura, Modelagem em Biscuit), Artesanato, Arte Urbana (Grafite) Cinema, Cultura Popular (Fandango ou Capoeira), Educação Patrimonial, Dança Contemporânea ou Étnica (Cigana), Teatro e Literatura as inscrições são na Casa Cecy.

O Céu das Artes no Jardim Iguaçu vai receber as inscrições para Arte Urbana (Grafite), Street Dance, Dança Étnica (Cigana), e Contação de Histórias.

Para se inscrever basta ir ao local indicado em horário comercial até o dia 8 de fevereiro, com um documento de identificação.

Muitas oficinas são bastante concorridas e todas têm limites de participação. Por isso, recomenda-se aos interessados que façam suas inscrições o mais breve possível para garantir vaga.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Vamos pra água?

Praia Central de Guaratuba. Foto da Agência de Notícias do Paraná.  
O clima está propício para o veraneio. O sol e o calor têm sido generosos para quem está curtindo as praias e rios do nosso Litoral. A ausência de chuvas está deixando a água do mar muito límpida e transparente, com belos tons de verde e azul.

A falta de chuvas também permitiu que os três boletins de balneabilidade emitidos pelo Instituto Ambiental do Paraná desde o começo da temporada indicassem águas próprias para banho em praticamente todos os pontos analisados. Aliás, os três boletins são idênticos.

Os únicos locais considerados contaminados e impróprios para banho são a Ponta da Pita em Antonina e a foz dos pequenos rios que deságuam nas praias. O restante está liberado. Isso só deve mudar quando chuvas fortes vierem.

A coluna completa está no portal do JB Litoral. Clique aqui. 

terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Vamos derreter!

Nascer do Sol na Baía de Paranaguá. 
O verão chegou com muuuuuuito calor e a coluna Balanço da Canoa também tinha que voltar. Né que é?

Antonina virou notícia mundial com a sensação térmica de 80° C. Nem precisa forno para assar o peru de Natal.

Peru à parte, senti falta de escrever esta coluna aqui no JB. É uma parceria bacana que me aproximou de muita gente especial, começando pelo Gilberto e a Jéssica, e agora a Luiza Rampelotti. Aliás, fez um ano que começamos a coluna. Muito feliz por voltar!

A coluna completa está no portal do JB Litoral. Clique aqui. 

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Aluguel de Caiaques e SUP no Mar de Lá

Xente! QUE CALOR!

O casal Lili e Ruddy (de Lili) adquiriram uma verdadeira frota de caiaques e um SUP (Stand Up Padle) e agora eles estão alugando para quem quer dar um passeio no Rio dos Correias.

Eles moram bem em frente da praia do Mar de Lá, na Ilha dos Valadares.

O preço é bacana, tem coletes salva-vidas, remos, tudo...

Se tiver sorte, aparece até uns botos pra acompanhar a remada.

É muito bom!

A página deles no Facebook é: https://www.facebook.com/Remosmardelavaladaresparanagua/

E tem um Whats: 99960 2173

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Bota fora 18! O último baile de Fandango Caiçara do ano em Paranaguá!

O calor chegou! 2018 tá nas últimas! 

Vamos retomar o Balanço da Canoa para falar das melhores coisas do verão no Litoral. 

E neste sábado (22) tem baile de Fandango Caiçara em Paranaguá. Que por sinal, é o último do ano. Depois, só no Carnaval! 

AMANHEEEEEEEEECE!

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

YES, noiz temo GROOVE!


Sei que esse espaço aqui está meio parado, mas vamos nos mexer que tudo esquenta né?

E para esquentar, recebi o convite mais que especial do irmão WAG que agita a cena alternativa da nosso Paris (naguá).

Então, sábado vou discotecar na abertura e entrebandas no Barones Club, na festa Yes, nóiz temo GROOVE!

Confiram:

Sábado, 1° de Dezembro no Barones Club

Com o intuito de dar a música black - e a todos os seus desdobramentos -
o seu devido protagonismo na noite da cidade criamos a festa YES, NÓIZ TEMO GROOVE!
e para isso contamos com VOCÊ!

também contamos com todo o groove, balanço,
swing, levada & cadência das bandas:

BLACK COKADA
tocando Bob Marley, Tim Maia, Nação Zumbi, Jorge Ben, Planet Hemp, Red Hot, Sublime...

WAG & DIGA HEY!
Criolo, Rael, Sabotage, Racionais, Marcelo D2, O Rappa, Emicida,
3030...

e diretamente da URSAL

DJ Ivanovick
discotecando seu balaio de brasilidades

::: entrada :::

$5 com nome na lista
$10 sem nome na lista

*valido até 00:00hrs
após outro valor

arte: Larissa Rech
bora balançar!!!
uma iniciativa HEY HO RAPS

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Paranaguá em Cananéia

Grupo Família Domingues. 

No final de semana que passou, foi realizada em Cananéia, São Paulo, a 3a Festa do Fandango Caiçara de lá. Dois grupos de Fandango de Paranaguá foram participar. A exemplo da 9a Festa do Fandango de Paranaguá, a de Cananéia foi realizada em forma de mutirão, praticamente sem nenhum investimento público.

Os grupos Mandicuera e Família Domingues se deslocaram de Paranaguá até o litoral paulista com recursos próprios, usando seus carros, sem nenhuma ajuda do poder público. Não houve cachê, nem verba para hospedagem ou alimentação. Ou seja, os dois grupos foram na raça, levar o nome de Paranaguá para outras terras.

Aliás, o mestre Aorélio Domingues do Grupo Mandicuera vem insistindo que o Fandango é o principal divulgador da cultura e da cidade de Paranaguá. O ritmo caiçara sempre rende excelentes matérias na imprensa estadual e até nacional. Tudo sem custo nenhum para a cidade. Agora, imaginem se recebesse o incentivo apropriado.

E para encerrar o assunto, o grupo Família Domingues é mais um fruto da cena fandangueira da Ilha de Valadares. Até pouco tempo, havia quatro grupos. Contando com a Família Domingues e o Grupo Mestre Eugênio, composto somente por crianças, já temos seis grupos! Amanhece!

Nhundiaquara Jazz Festival


A belíssima cidade de Morretes receberá neste final de semana, nos dias 21 e 22 de outubro, a segunda edição do Nhundiaquara Jazz Festival. A primeira edição foi há três anos, e deixou saudades. Os shows serão gratuitos, ao ar livre, em dois palcos, ambos na beiro do Rio Nhundiaquara.

As atrações são de alto nível. Helinho Brandão Quarteto vai se apresentar com a participação de Airto Moreira. Eles farão espetáculo em homenagem à banda Weather Report, na qual Airto tocou nos anos 1970. Além deles, há uma farta lista de atrações, que vão se revezar nas tardes de sábado e domingo.

Além dá música haverá barracas com comes e bebes, isso sem falar nos diversos restaurantes do circuito. Excelente pedida. Vale reservar uma pousada ou hotel e ficar o final de semana todo.

Entraremos em férias


A coluna Balanço da Canoa fará uma pausa para descanso e reformulação. Vamos parar por algumas semanas. Se tudo der certo, voltaremos antes do início da temporada de verão que é nossa estação preferida, com muito sol, calor, praias, rios, turismo, gastronomia e cultura. Aguardem!



quarta-feira, 16 de maio de 2018

MAE-UFPR inaugura Exposição “Rogai Por Nós” em Paranaguá

Exposição é composta de estandartes e imagens religiosas além de fotos das igrejas de Antonina


A exposição “Rogai Por Nós”, organizada pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR (MAE-UFPR) será aberta ao público às 14h30 neste sábado, dia 19 de maio, como parte integrante da programação do Circuito CulturArte, que acontece em Paranaguá de 18 a 20 de maio, como atividade preparatória do Festival de Inverno da UFPR que acontece em Antonina.

A mostra, realizada pelo Museu em conjunto com o Grupo Folclórico Boi Barroso pelo projeto “Mutirão Mais Cultura na Universidade”, trará 21 estandartes, fotos e imagens religiosas das quais cada peça traz a história e memória de 19 capelas e igrejas católicas do município histórico de Antonina, litoral do Paraná.

A sua essência está relacionada ao entendimento de que “ [...] busca expressar o encontro dialógico de duas culturas, das quais estas não se fundem nem se confundem, e sim, cada uma mantém a sua unidade e a sua integridade aberta, mas elas se enriquecem mutuamente”.

Dessa forma, a exposição busca mostrar que as comunidades de cada capela antoninense são parte importante da configuração da cidade como espaço de memória. A primeira exposição das peças foi realizada em Antonina e foi organizada pela Família Pinto, responsável também pelas atividades do Bloco Folclórico e Carnavalesco Boi Barroso.

A realização dessa exposição foi possibilitada pelo “Projeto Mutirão Mais Cultura na UFPR”, vinculado ao Ministério da Cultura (MINC) e do Ministério da Educação (MEC). O Projeto Mutirão Mais Cultura na Universidade desenvolve ações na região do Litoral do Paraná em vários municípios em parceria com associações de moradores de comunidades tradicionais de pescadores, quilombolas, indígenas, carnavalescos e artesãos.

A exposição estará em cartaz até 19 de setembro de 2018 e terá entrada franca durante todo o período de exposição.

Serviço exposição: “Rogai Por Nós”
Onde: Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR - Rua XV de Novembro, 575, Paranaguá
Quando: De 19/05/2018 à 19/09/2018
Horário de funcionamento: das 8h às 20h de terça a domingo
Mais informações: http://fb.com/maeufpr | (41) 3721-1200 (Paranaguá) | (41) 3313 2045 (Curitiba) Entrada franca!

Foto: Douglas Fróis/MAE-UFPR 
A Equipe de Curadoria da exposição é formada por integrantes do grupo Folclórico Boi Barroso em conjunto com a Universidade Federal do Paraná pelo Projeto Mais Cultura.